Conheça os principais critérios do Google para posicionar seu e-commerce de turismo na web

 Em Marketing, Tecnologia

SEO

De acordo com uma pesquisa divulgada pela comScore, mais de 1,1 bilhão de pessoas acessam o Google para fazer buscas de produtos, serviços e conteúdos, todos os meses. Hoje, no mundo digital não há como produzir conteúdo e subir nos nossos e-commerces, blogs e etc sem um bom toque de SEO para ajudar no rankeamento, afim de nos posicionarmos bem na busca orgânica.

Mas com toda essa conversa sobre as mudanças que tiveram nas técnicas de otimização, fica difícil saber com clareza o que realmente o Google considera ao rastrear páginas na web.

O próprio oráculo Google confirmou que existem (vários) fatores importantes para que sua página apareça nas primeiras páginas. Listei aqui 4 deles que considero mais importantes para ajudar você na construção do seu website:

1. Fatores de domínio

Domínio é o nome do seu site na web, e deve ser MUITO bem pensado antes de ir ao ar, pois ele vai acompanhar sua marca durante muito tempo. Um domínio que tenha um bom tempo de “vida” é mais amigável aos olhos dos mecanismos de busca. Usar a palavra-chave no subdomínio também é bem agradável, assim como usar um domínio local (como pt., br.).

2. Fatores de Page Level

Esse fator está mais ligado à construção do seu conteúdo, pois a maioria dos itens aqui tratam-se de pequenos detalhes em títulos (que também tem forte influência no SEO on-page). Entre as principais medidas dos fatores de page level, achei bacana destacar os seguintes tópicos para ajudar os robozinhos do Google a rastrear mais facilmente seu conteúdo:

  • Manter a palavra chave na meta description (aquela prévia que aparece logo abaixo do título do seu site, nos resultados das buscas);
  • H1, H2, H3, H4: insira de modo agradável à leitura do usuário a palavra chave nos  headings (do primeiro ao quarto, H1 quer dizer o primeiro título da página, e assim por diante);
  • Tamanho do conteúdo – textos mais aprofundados, com no mínimo 500 e no máximo 800 palavras, pelo menos são compreendidos pelo Google como conteúdos mais completos, portanto, mais relevantes.
  • Densidade de palavras: apesar de ter perdido o seu primeiro lugar nos critérios de rankeamento, a densidade de palavras chave ainda é importante ao longo do conteúdo. Porém, use com moderação – o excesso pode trazer penalidades.
  • Otimização de imagens (coloque a palavra chave no nome do arquivo e também na descrição na hora de subir em seu publicador);
  • Tempo de carregamento da página: tanto Bing, como Google ou outros sites de busca levam em conta o tempo que uma página demora para carregar como fator relevante de rankeamento. Adapte seu website para um carregamento rápido em tablets, smartphones e computadores.

3. Fatores de Site Level

  • Página de contato: transmite confiança e facilita a vida dos usuários que queiram um relacionamento mais próximo com a sua marca;
  • Confiabilidade: é medido através dos links que apontam para o seu site (se eles são confiáveis, vão mostrar para os robozinhos rastreadores do Google que o seu conteúdo também é;
  • Atualizações: é importante manter uma frequência de postagens e atualizações, pois assim o Google entende que o seu website sempre tem novidades para oferecer ao usuário;
  • Arquitetura: lembra do meu post sobre webwriting? Então, usabilidade aqui também é essencial. Procure organizar os elementos das suas páginas afim de que os rastreadores do Google consigam encontrar seus conteúdos através de categorias, sem maiores dificuldades;

4. Engajamento do usuário

De acordo com o comportamento do usuário na navegação das páginas, o Google classifica como relevantes os sites que tenham:

  • Maior número de cliques vindos de busca orgânica;
  • Taxa de rejeição: o Google usa os próprios visitantes como “termômetro de qualidade”, classificando as páginas que tem maior porcentagem de taxa de rejeição como websites menos relevantes;
  • Tráfego direto: o Google classifica como conteúdo de qualidade e relevante os sites que tenham um número considerável de acessos via tráfego direto (quando o usuário digita diretamente no navegador o link do seu site);

A maioria dos sites e blogs que falam sobre fatores de rankeamento contam que o Google se utiliza de mais de 200 critérios para posicionar um site nas primeiras páginas de busca.

Com uma estratégia eficiente de SEO, boa usabilidade e conteúdo de qualidade, eu, você e todos nós chegamos lá. E você, tem algum outro fator que ache interessante mencionar aqui? Conte pra gente nos comentários. Vou ficando por aqui e até a próxima! :)

 

Artigos recomendados

Deixe um comentário